Warren Beatty – Uma Rajada de Charme,de 25 a 31 de março na Cinemateca do MAM

0

Com a morte de James Dean, em 1955, Hollywood se desesperou por um ídolo popular juvenil à altura do ícone transviado e testou toda sorte de candidatos a namoradinhos da América. “Irmão contra irmão” (1958) apontou John Cassavetes (1929-1989) como solução para a seca de jovens inquietos. Mas, naquele ano, este já estava às voltas com um projeto de se tornar um cineasta gauche, filmando “Sombras”. Não era o que a Meca do entretenimento queria. Eis que o irmão da atriz Shirley MacLaine surgiu como “a” alternativa: Henry Warren Beatty vinha de incursões na TV quando testou seu carisma em “Clamor do sexo” (1961). Estava nas mãos do mesmo Elia Kazan que esculpiu a fama de Dean. Seu sorriso ajudou o longa-metragem a arrecadar US$ 8,7 milhões, à força de sua química com Natalie Wood. Era uma história sobre virgindade, e ele fez dela algo universalmente trágico. Era bonito, gestualizava improvisos, e imprimia sutileza nos diálogos. Um astro nato. Era a saída ideal para os estúdios, reafirmando sua chama em “O anjo violento”, que deu a John Frankenheimer uma indicação à Palma de Ouro, em 1962. Fez bonito ainda em “Lilith” (1964), de Robert Rossen. Foi um começo em que o naturalismo vinha carregado de uma inquietação psicanalítica que não passava por sexualidade ou senso de inadequação, mas por um ideal de enfrentamento. Beatty não era rebelde sem causa. Encarnava a ideia da vontade de potência plena: o virtuoso que sabe seu lugar na polis, seu dever na sociedade civil. Era a centelha de um incêndio anunciado, sem fumaça que os engravatados hollywoodianos farejassem. Beatty era um astro com consciência – taí seu diferencial.

Warren Beatty – Uma Rajada de Charme – Cinemateca do MAM – De 25 a 31 de março: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Praia do Flamengo, Rio de Janeiro

25/3 – segunda-feira – 18h Abertura da Mostra com “Clamor do sexo”

26/3 – terça-feira – 18h – “Bonnie e Clyde: Uma rajada de balas”

27/3- quarta-feira – 18h – “O Céu pode esperar”

28/3 – quinta-feira – 18h – “Bugsy”

29/3 – sexta-feira – 17h – “Reds”

30/3 – sábado – 16h – “A trama”

30/3 – sábado – 18h – “Shampoo”

31/3 – Domingo – 16h – “Dick Tracy”

31/3 – Domingo 18h – “Politicamente incorreto”

Share.

Deixar um comentário